16 de junho de 2014

Ato político marca lançamento da Frente de Esquerda em SP



16/06/2014 - No último domingo, dia 15 de junho, foi realizado, em um dos principais auditórios da Assembleia Legislativa, o ato político de lançamento da Frente de Esquerda para as eleições de São Paulo. A atividade aconteceu ao final da convenção estadual do PSOL.

Formada pelo PSTU e pelo PSOL, a Frente de Esquerda em SP terá sua chapa majoritária composta pelo professor e jornalista Gilberto Maringoni (PSOL), como pré-candidato ao Governo do Estado, e pela servidora pública do judiciário federal e dirigente sindical licenciada Ana Luiza Figueiredo (PSTU) como pré-candidata ao Senado. A professora Hildete Nepomuceno (PSOL) será a pré-candidata a vice-governadora.

As principais falas da atividade destacaram que a Frente de Esquerda deve ser uma alternativa de esquerda, socialista e dos trabalhadores. Que defenda o fim das privatizações e a reestatização das empresas privatizadas. A educação, a saúde, o transporte, a moradia e a nossa água não podem mais ser mais encaradas como mercadoria, voltadas para o lucro de grandes empresas. Precisamos de um verdadeiro governo dos trabalhadores que garanta serviços públicos de qualidade para a maioria do povo pobre e trabalhador.

Nossa campanha sempre apoiará as lutas dos trabalhadores e da juventude, que voltaram a ocupar o cenário político desde as grandes manifestações de junho do ano passado.

Agora, em 2014, vemos principalmente os trabalhadores protagonizarem um grande número de greves e mobilizações para garantir seus direitos, salários e conquistas. Como foi recentemente a greve dos metroviários de SP que, além de lutarem por suas reivindicações salariais, levantaram bem alto a necessidade urgente de um transporte público, estatal e de qualidade para o povo pobre de São Paulo. Para concretizar esse apoio às lutas, estaremos na linha de frente da campanha pela anulação das demissões dos metroviários.

A Frente de Esquerda vai combater em sua campanha o atual Governador Geraldo Alckmin e o PSDB, que governa o estado há 20 anos com sua política de privatização, corrupção e criminalização da pobreza e dos movimentos sociais.

Mas vamos combater também o PT que governa o país há mais de 10 anos sem mudar o modelo econômico que privilegia as grandes empresas em detrimento dos interesses dos trabalhadores, da juventude e da maioria do povo. Nas eleições paulistas, o PT apresenta a candidatura de Alexandre Padilha, ex-ministro da saúde de Dilma, novamente aliado com Paulo Maluf, um dos símbolos da corrupção em nosso país. 

Para derrotar o PSDB, o PT não é mais uma alternativa de mudança de fato! Por isso, nossa tarefa é fortalecer a Frente de Esquerda em SP como uma alternativa socialista, para os trabalhadores, a juventude e a maioria do povo!  

Na próxima semana, no dia 24 de junho, às 18h30, na Assembleia Legislativa, o PSTU realizará sua Convenção Estadual para confirmar, mais uma vez, a construção da Frente de Esquerda e as suas pré-candidaturas no Estado de São Paulo.

Toninho Ferreira, presidente municipal do PSTU São José dos Campos

1 comentários:

O PT e outros partidos de esquerda utilizam a mentira e a dissimulação com uma naturalidade chocante para quem possui algum pudor. Da ladainha vitimista contra os xingamentos à Dilma (elevados à condição de atentado à pátria) à defesa desabrida do projeto bolivariano da "soberana" há uma inequívoca farsa, uma manifesta e evidente distorção do que de fato está escrito no projeto de lei. Some-se a isto a ação de pseudointelectuais (não porque não tenham estudado, mas porque entenderam tudo errado) como Vladimir Safatle, do PSOL, e fica claro que a democracia brasileira está sob ataque.
Veja este trecho de artigo de Safatle na folha em 20 de maio último: “(...) Elas nem sequer perceberão sua singularidade, até que seja tarde demais para reagir.
Essa descrição de Deleuze era, na verdade, uma espécie de conselho que talvez seja a nossa versão contemporânea para as virtudes da prudência.”
Ora, as freses acima mal escondem o ovo da serpente que chocam. A intenção do bote venenoso está toda ali, furtiva, como está na reedição de práticas da comuna de paris no projeto de Dilma Rousseff. Quando a esquerda fala em democracia, mente. Ou melhor: omite, pois fala de outro conceito de democracia, que pressupõe a destruição da democracia que conhecemos, a democracia representativa e liberal.
Para entender melhor o que afirmo aqui, convido para a leitura de dois artigos:

DEMOCRACIA SOCIALISTA
http://questoesrelevantes.wordpress.com/2014/03/02/democracia-socialista-e-o-saci-perere-da-ciencia-politica-nao-passa-de-folclore/
e
A DEMOCRACIA DIRETA É LIBERTADORA OU LIBERTICIDA?
http://questoesrelevantes.wordpress.com/2014/06/04/democracia-direta-boa-intencao-libertaria-ou-liberticida/

Postar um comentário