30 de abril de 2014

Prefeito Haddad (PT) dá calote na Educação e resposta da categoria é greve!

Nota de Apoio do PSTU aos trabalhadores em Educação do Município de São Paulo

Lourdes Quadros, Dirigente do PSTU e da CSP-Conlutas - SP

30/04/2014 - O governo Haddad não tem compromisso com a educação. Diferente do que disse em campanha eleitoral em que assumiu o compromisso de valorização dos profissionais em educação, desde o ano passado aplica medidas de ataque á direitos dos trabalhadores. Comprometeu-se com o conjunto do funcionalismo que iria reajustar os salários em nada menos que a inflação acumulada. Agora vem com enrolação dizendo que não tem dinheiro para cumprir com os compromissos firmados.

No ano passado a categoria também realizou uma forte greve, o encerramento da greve se deu após o anúncio de vários compromissos para o atendimento as reivindicações que até agora não foram aplicados.

Contrariando o compromisso assumido na greve do ano passado e desrespeitando os trabalhadores em educação, inventa uma proposta de aumento na forma de abono sem incorporação ao padrão em 13,43%. Uma medida que desconsidera o conjunto da categoria, a carreira e os aposentados.  

Na imagem ao lado, Lourdes Quadros

Haddad aplica a mesma medida que os governos anteriores de Serra e Kassab. Diz que não tem dinheiro para valorizar o trabalhador em educação, mas gasta milhões com convênios e terceirizações; paga fielmente a dívida pública municipal para os bancos, disponibilizou bilhões para gastos com a copa. Não tem dinheiro para educação  mas  tem para  banqueiros e pra Copa.

Os trabalhadores em educação da rede municipal de São Paulo cansados de tanta enganação, decidiram entrar em greve em  23 de abril. A decisão foi tomada após inúmeras reuniões de negociação na mesa do SINP, sem avanços.

No dia 28 de abril a categoria realizou nova assembleia com a presença massiva dos trabalhadores, novamente o governo responde com proposta de abono e reajuste zero, além da ameaça de desconto dos dias parados. A categoria indignada com Haddad, votou praticamente por unanimidade pela continuidade da greve com gritos de protesto: “ditador, ditador” fora Haddad, fora Haddad”

Governo do PT ameaça trabalhadores com corte do ponto
Mesmo com a ameaça em resposta ao terrorismo  do governo petistas várias iniciativas estão sendo feitas de protestos e Atos regionais.  A categoria realizou ato no Capão Redondo (periferia da zona sul). 

Estão sendo organizados, por iniciativa da base, um ato na Ponte Espraiada (em frente à Globo) no dia 06 de maio e rolezinho na Paulista no dia 07 de maio, antes da assembleia, que acontece em frente à Prefeitura, no Viaduto do Chá, às 14h30.



Não é só pelo reajuste
É também em defesa da Educação pública de qualidade, vagas nos CEIS (creches) diretos para garantir o direito das crianças, pelo direito do jovem e adulto ter sua vaga na EJA, redução do número de alunos por sala de aula, fim da violência nas escolas; Garantia de tratamento isonômico entre ativos e aposentados; Fim das terceirizações e contratos de parcerias; e redução do número de alunos por sala.

1 comentários:

GREVE GERAL JA,MESMO ASSIM ELE TEIMA,ACORDA POVO BRASILEIRO,VEM PRA RUA,O POVO UNIDO JAMAIS SERA VENCIDO.

Postar um comentário